Responsáveis pela cibersegurança no Reino Unido não duvidam que está para breve ataque com potencial fatal

O Centro Nacional britânico para a Cibersegurança tem lidado com mais de 10 ataques por semana nos últimos anos e considera haver “poucas dúvidas” de que um ataque de grandes proporções e que pode pôr vidas em risco está para breve.

>cibersegurança no reino unido, ataque, ciberataque

O relatório publicado esta terça-feira pelo Centro Nacional britânico para a Cibersegurança (NCSC na sigla em inglês) revela que o organismo teve de lidar com 1167 ataques desde que entrou em pleno funcionamento, em 2016, e que só nos últimos 12 meses registou 557 incidentes, a maioria com origem em “nações de alguma forma hostis ao Reino Unido”.

Segundo o CEO do NCSC, Ciaran Martin, até agora, nenhum dos ataques cai na categoria 1, ou seja com potencial para ameaçar a vida. Mas não deve faltar muito. “Tenho poucas dúvidas de que vamos ser testados até ao limite, como centro e como nação, por um grande incidente algures nos próximos anos”, escreve Martin, no relatório, disponível online.

O ciberataque com o WannaCry, que, no passado, afetou centenas de milhares de computadores de vários países, incluindo Portugal e o Reino Unido, recebeu a classificação de ataque de categoria dois, ou seja, com um “impacto sério numa grande parte da população, economia ou governo”, e deixou uma amostra de como pode um cibertaque representar um risco de vida: na semana passada, o governo britânico revelou que o WannaCry afetou pelo menos 80 dos 236 hospitais públicos em Inglaterra, assim como 595 centros de saúde, num custo total para o serviço nacional de saúde britânico de mais de 100 milhões de euros, incluindo mais de 82 milhões só para suporte informático.

O ataque a informações militares ou classificadas é outra das preocupações das autoridadades e, em 2017, o ministro britânico da Defesa anunciava que havia um grupo chinês de espionagem com esses alvos.

Formação Relacionada

cibersegurança no reino unido, ataque, ciberataque

Pempel, Kacper (2018). Responsáveis pela cibersegurança no Reino Unido não duvidam que está para breve ataque com potencial fatal. Recuperado a 26 de Outubro 2018, de http://visao.sapo.pt/actualidade/mundo/2018-10-16-Responsaveis-pela-ciberseguranca-no-Reino-Unido-nao-duvidam-que-esta-para-breve-ataque-com-potencial-fatal