Cibersegurança: Europa garante acordo para reforçar segurança e cria sistema de certificação de produtos e serviços

Da empresa à casa, da vida profissional ao âmbito privado e pessoal, estamos permanentemente conectados.

>biometria, internet das coisas, cibersegurança, segurança

(…) A Internet of Things (IoT) e os sistemas de acesso biométrico, hoje em uso mais alargado a nível global, são cada vez mais permeáveis a ataques cibernéticos. Medidas de segurança devem ser implementadas e, acima de tudo, mantidas.

À medida que as empresas e os negócios se tornam mais digitais, em que até nas nossas casas os electrodomésticos estão ligados à Internet, e no nosso dia-a-dia interagimos com os smartphones e os smartwatches através das nossas impressões digitais ou da biometria, “o risco cibernético acresce e o próprio CIO ganha uma relevância maior, para maior suporte nas medidas a serem desenvolvidas, e para a tomada de escolhas e de riscos calculados”.

Da empresa à casa, da vida profissional ao âmbito privado e pessoal, estamos permanentemente conectados, e as chamadas ‘portas de entrada’ multiplicam-se exponencialmente. As empresas devem estar atentas e sensíveis a estas ameaças para responderem atempadamente com planos e estratégias que reduzam este risco.

De acordo com declarações de Elizabeth Alves, sales manager da Exclusive Networks em Portugal, “o crescimento tecnológico que temos assistido nos últimos anos, é benéfico aos mais variados níveis, e faz parte da evolução das sociedades, contudo é premente a necessidade de novas e eficientes medidas de segurança cibernética, que permitirão a empresas, particulares e até mesmo às sociedades, de se manterem imunes às ameaças”.

Formação Relacionada

biometria, internet das coisas, cibersegurança, segurança

(2018) Biometria e Internet das Coisas continuarão a marcar segurança em 2019. Recuperado a 14 de Janeiro de 2019, de https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/biometria-e-internet-das-coisas-continuarao-a-marcar-seguranca-em-2019-386785